Reunião esquenta entre prefeito e indígenas em Juína (Fonte: JNMT)

por Dener Pereira da Rosa publicado 19/10/2015 11h40, última modificação 19/10/2015 12h04
O grupo de indígenas da etnia Enawenê Nawê lotou o Plenário do Palácio dos Pioneiros (Antigo plenário da Câmara) na manhã desta sexta-feira (16).
Reunião esquenta entre prefeito e indígenas em Juína (Fonte: JNMT)

Reunião com Povo Indígena. Foto: Dener Pereira da Rosa

O principal objetivo do pedido da reunião com o executivo municipal foi expor a insatisfação que a comunidade indígena teve depois que o prefeito Hermes Bergamim fez pronunciamento alegando que possivelmente as lideranças estariam sendo motivadas a tomar certas atitudes incentivados pela FUNAI.

 Não havendo espaço suficiente para acomodar o grupo, a reunião foi transferida para câmara de vereadores.

 Durante o encontro os indígenas retrucaram o prefeito dizendo que tem toma as decisões são os lideres da comunidade através de acordos.

 “Nós mesmos que tomamos nossas decisões, a gente tem sabedoria, temos inteligência, não somos crianças e nem bobos” relatou Dodoway Enawenê Nawê, líder indígena.

 Por outro lado o prefeito Hermes Bergamim disse que existem várias interpretações para o que se fala.

 “Nós somos a favor da boa convivência entre a comunidade indígena e os brancos, estamos aqui há mais de 30 anos e nunca houve atritos, não queremos isso de forma alguma e estamos aqui para sermos parceiros” destacou Bergamim.

 Durante a reunião foi abordado a invasão por um grupo de sem terra em áreas no Rio Preto na última semana, que provocou a mobilização da comunidade indígena que se armou de arco e flecha para expulsar os invasores que deixaram o local antes da chegada dos indígenas.

 “Não vamos permitir que sem terras entrem em propriedades ou outras áreas da região lá no Rio Preto de forma alguma” avisou Dalawmace Enawenê Nawê.

 O coordenador regional da FUNAI em Juína Antônio Carlos de Aquino participou da reunião e disse que o órgão tem limitações.

 “Muita gente desconhece como funcionam as coisas e fazem pré julgamento, já recebi ameaças de morte, já foram feitas ameaças de incendiarem a FUNAI em Juína, isso tudo é fruto de falta de conhecimento” frisou.

 Segundo Aquino os indígenas não são tutelados à FUNAI ou ao governo, eles tem liberdade e tomam decisões que lhe cabem.

 Com relação a expulsão do grupo que tentava invadir terras nas proximidades das terras dos Indígenas, o coordenador informou que eles não permitem por que tem esperança de ter da justiça uma decisão que garanta à etnia a propriedade de tais áreas.  

Depois de intensa conversa os indígenas tiveram os esclarecimentos que buscavam e saíram satisfeitos.

Fonte: Cleber Batista JNMT

 

 

 

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.